Cursos

0
0
0
s2sdefault

Master

Master em teologia com enfase na missão.

Para mais informações acesse:

Missiologia.cc

0
0
0
s2sdefault

TEOLOGIA

Objetivo

Filosofia do Ensino Teológico no ITESP. 

Introdução

Os atuais objetivos de estudos teológicos no ITESP resgatam a experiência dos últimos anos e atualiza seus princípios inspiradores e norteadores para o ensino e a aprendizagem teológica. 

Objetivo Geral

Como instituição católica de ensino e pesquisa em teologia, o Instituto tem por objetivo aprofundar e divulgar os conhecimentos de teologia e das realidades religiosas através de instrumentos e métodos adequados de reflexão e pesquisa que possam ser usados pelos quadros de liderança religiosa, de modo particular, os religiosos e ministros ordenados, e que respondam às exigências de diálogo com a cultura e com as ciências do presente. 

 

Objetivos específicos. 

 

1.Introduzir o (a) estudante na pesquisa teológica mediante o cumprimento das exigências teóricas e metodológicas que compõem a unidade e a diversidade do currículo em sua estrutura e dinâmicas; 

2. Habilitar o (a) estudante para a ação pastoral a partir de parâmetros teóricos, metodológicos e pedagógicos que integrem crítica e criativamente ação e reflexão, e impulsionem a ação transformadora das realidades humanas; 

3.Desenvolver a reflexão da fé referenciada pelo diálogo entre sua identidade e as diversas alteridades e pelo espírito ecumênico; 

4.Proporcionar aos candidatos à Vida religiosa e presbiteral a aquisição de referência e instrumentos necessários à ação evangelizadora nas diversas realidades eclesiais; 

5.Preparar pesquisadores, especialista e docentes em áreas e temáticas específicas do saber teológico; 

6.Promover cursos, semanas e ciclos de estudos destinados à atualização e reciclagem para o público em geral e, especificamente, para agentes evangelizadores; 

7.Formar profissionais na área teológica para o serviço de assessorias e consultorias junto a órgãos de imprensa, organizações e entidades ecumênicas; 

8.Contribuir com a consolidação da teologia, enquanto área de saber, no quadro do ensino superior brasileiro, fomentando a investigação e a divulgação da produção teológica. 

 

Princípios Básicos dos Estudos Teológicos

 

Da ciência teológica decorrem princípios que expressam sua natureza epistemológica, suas opções metodológicas e suas finalidades. A explicitação destes princípios afirma, concomitantemente, a singularidade desta área de saber, enquanto uma objetividade historicamente construída, bem como a pluralidade de suas abordagens e sistemas decorrentes de sua dialética permanente com as múltiplas realidades históricas. O Instituo São Paulo de Estudos Superiores, enquanto comunidade de reflexão teológica, compreende, portanto, a prática teológica como: 

1.Reflexão, aprofundamento e divulgação de uma ciência localizada numa comunidade de fé e marcada pelo compromisso em seu aprofundamento acadêmico; 

2.Uma elaboração fundamentada nas fontes escriturísticas, e no consenso eclesial da tradição e magistério, regrada por uma metodologia que garanta a pluralidade de paradigmas e métodos teológicos, e inserida na realidade concreta do Povo de Deus; 

3.Processo de sistematização includente, progressivo e permanente, e que integre a ação e a reflexão da fé, articule criativamente a pertinência das fontes e a relevância do presente emergente e vitalize a relação entre realidade da igreja e do mundo e a utopia do Reino de Deus; 

4.Busca de aprofundamento crítico da fé, de sensibilização às solicitações do povo e compromisso com o serviço pastoral. 

 

Parâmetros Curriculares do Curso de Graduação

 

O currículo do curso de graduação em teologia estrutura-se a partir de princípios decorrentes da epistemologia teológica e da tradição pedagógica do Instituto e dos objetivos de ensino que persegue. 

 

1.A objetividade da teologia. 

As áreas de saber estruturam-se dentro de uma objetividade constituída a partir de um consenso epistemológico e marcada por opções filosóficas e metodológicas historicamente situada. No currículo de teologia, esta objetividade visa garantir, antes de tudo, sua dimensão acadêmica – seu intellectus – que se distingue das abordagens catequética ou devocional. Enquanto reflexão dada no seio da fé, a teologia expressa de maneira contundente este aspecto relativo da objetividade, na medida em que reflete sobre as práticas de fé situada historicamente. É neste sentido que o currículo de teologia do Instituto possui uma dialética que insiste na crítica e na criatividade da reflexão, bem como em paradigmas pré-constituídos, em elaboração teológica bem como no dados da revelação, da tradição e do magistério, em aspectos teóricos e metodológicos e aspectos pastorais. 

 

2.A identidade do curso. 

Desta objetividade, historicamente situada, decorre o princípio da identidade do currículo, enquanto este incorpora e expressa, em sua estrutura e dinâmica, a tradição católica e uma determinada opção teórica e metodológica que o distingue de outros e destina-se, ao mesmo tempo, a sujeitos específicos. O encontro ente a objetividade e os sujeitos destinatários compõem os objetivos, o perfil e a dinâmica interna do curso de teologia, respondendo pelo seu aspecto de habilitação. Demarcado na tradição teológica católica e, de modo particular, nas referencias das congregações religiosas, o curso tem como objetivo a habilitação de agentes evangelizadores (religiosos, presbíteros e leigos), o que configura uma dinâmica própria no currículo, nas práticas pedagógicas e didáticas. 

 

3.A organicidade do currículo. 

A articulação entre o todo e as partes compõe o currículo na sua estruturação horizontal e vertical. A verticalidade é compreendida pelas áreas específicas que compõem a área mais ampla que se identifica com o próprio curso e que o recorta de alto a baixo. Assim ficam compreendidas as seguintes áreas: ciências bíblicas, teologia sistemática, teologia prática e ciências auxiliares. A horizontalidade busca uma estruturação que responda por uma seqüência mais coerente e progressiva dos conteúdos e práticas ao longo do curso, ganhando o formato de módulos. Este aglutina, em torno de um eixo central e estruturante, o conjunto dos conteúdos e práticas acadêmico-pedagógicas, garantindo a integração dos conteúdos programáticos com a orientação pedagógica e as práticas docentes. A alocação das disciplinas regular e optativa, dos seminários e da linha de orientação se dá, primordialmente, em função destes eixos. 

 

4.A progressividade do ensino e na aprendizagem. 

O princípio da organização horizontal do currículo responde por uma seqüência gradativa dos módulos, das disciplinas, dos seminários, da orientação pedagógica e de outras práticas docentes e discentes. Esta progressão inclui a classificação feita pelo processo seletivo, as concepções de matérias propedêuticas, de pré-requisitos, dos módulos (com seus conteúdos e práticas) e do término do curso, mediante um trabalho conclusivo. Trata-se de uma progressividade que vai do mais simples ao mais complexo, ou, em linhas gerais, dos estudos introdutórios aos estudos "conclusivos", passando pelas regras materiais e formais básicas de construção do saber teológico e pelos conteúdos fundamentais da economia da salvação, da tradição e da práxis cristã. 

 

5.A transversalidade temática. 

As políticas temáticas essenciais constituem o currículo epistêmica e pedagogicamente enquanto a área específica de saber pode ser contemplada como conteúdos estruturados pontualmente nas disciplinas e como dimensões que perpassam todo o conjunto do currículo transversalmente. As disciplinas garantem aquela objetividade temática que compõe as áreas de saber dentro do curso. A transversalidade visa garantir as intencionalidades de fundo do ensino e da aprendizagem, os princípios norteadores do conjunto das áreas ou aquelas dimensões que devem perpassar por todos os conteúdos como assuntos ou práticas integradoras. Trata-se de uma concepção metodológica e pedagógica que exige coerência do conjunto com as partes bem como uma prática pedagógica integrada nos planejamentos, na execução e avaliação do ensino-aprendizagem. Adotamos como dimensões transversais: a interdisciplinaridade, a espiritualidade e a missão. A transdisciplinaridade supõe a unidade e a diversidade epistemológicas, de forma que cada matéria, em sua especificidade, venha a contribuir com a elaboração sistemática da teologia com suas múltiplas abordagens e metodologias. A espiritualidade fundamenta e direciona toda a reflexão, nos seus conteúdos, métodos e estratégias como ponto de partida e ponto de chegada do fazer teológico, enquanto reflexão sobre a vivência da fé. A missão, por sua vez, responde pela dimensão prática dos estudos teológicos, enquanto elaborados numa relação dialogante com as múltiplas realidades históricas e culturais. 

6.A integralidade dos processos. 

A constituição do currículo busca superar a distância, o paralelismo ou a oposição entre o teórico e o prático, entre conteúdos e métodos, entre o acadêmico e o pedagógico. Todo o conjunto curricular, desde a compreensão da objetividade teológica, inclui uma relação construtiva e tensional entre o "já constituído" e o "por constituir-se", distinguindo reprodução e produção teológicas. A articulação entre conteúdos e métodos verifica-se na insistência não só em conteúdos a serem estudados, como também nas metodologias, o que se visibiliza, de modo particular, no primeiro módulo em que são agrupadas as disciplinas teológicas. O estudo das metodologias quer garantir o exercício do fazer teológico bem como a diversidade de abordagens dada nas diversas áreas que compõem o conjunto do curso e mesmo no interior de uma área específica. O currículo integra de modo original na sua organização horizontal – módulos – práticas acadêmicas e posturas didático-pedagógicas. Elabora os objetivos referentes a conteúdos programáticos e ao desempenho esperado dos alunos, o que supõe as funções diferenciadas do docente e do orientador pedagógico.

 

0
0
0
s2sdefault

MISSIOLOGIA

Objetivo

O programa de pós-graduação em Teologia da Missão, oferecido pelo Instituto Teológico São Paulo, se dá a partir da sua agregação ao Pontifício Ateneu Santo Anselmo e tem como objetivos: 

  • Promover estudos e pesquisas no campo da Teologia da Missão, privilegiando temas da evangelização da América Latina e do Brasil, na perspectiva do diálogo e da transdisciplinaridade. 
  • Oferecer aos estudantes os conhecimentos básicos da Teologia da Missão passando pelas contribuições de autores e escolas que ofereçam as premissas, métodos e temas para o estudo sistemático da Teologia da Missão, ao longo dos séculos e no presente contexto eclesial. 
  • Preparar especialistas para o exercício da docência e da investigação científica na área do conhecimento teológico e pastoral. 
  • Conferir grau de mestre em Teologia com especialização em Teologia da Missão.
0
0
0
s2sdefault

Projeto Pedadógico

Tendo presente "a filosofia do ensino de teologia no ITESP": objetividade da teologia, identidade do curso, organicidade do currículo, progressividade no ensino e na aprendizagem, transversalidade temática, integralidade dos processos (cfr. PPI), o projeto pedagógico do bacharelado em Teologia no Instituto se explicita pelos componentes curriculares das disciplinas e pela opção didática de nucleação das mesmas em módulos temáticos.

0
0
0
s2sdefault

PROJETO PEDAGÓGICO

Pós-graduação

As disciplinas desenvolvidas pelo programa de pós-graduação em Teologia da Missão são programadas em núcleos: obrigatórias, optativas, seminários e atividades complementares. 

A orientação de tese, de dissertação ou do trabalho conclusivo de especialização (TCE) é personalizada, podendo ser enriquecida com a participação em atividades nacionais e internacionais de Congressos, Encontros e Seminários.

0
0
0
s2sdefault

Como instituição católica de ensino e pesquisa em teologia, o Instituto tem por objetivo aprofundar e divulgar os conhecimentos de teologia e das realidades religiosas através de instrumentos e métodos adequados de reflexão e pesquisa que possam ser usados pelos quadros de liderança religiosa, de modo particular, os religiosos e ministros ordenados, e que respondam às exigências de diálogo com a cultura e com as ciências do presente.

Subcategorias

Subcategorias